Gelnex aposta na cultura de inventários de emissões para contribuir com uma economia de baixo carbono

08/12/2011
COMPARTILHE

Gelnex aposta na cultura de inventários de emissões para contribuir com uma economia de baixo carbono

As indústrias cada vez mais buscam excelência em todas as áreas, principalmente em sua atuação em uma economia verde e de baixo carbono. Nesse sentido, a escolha e o uso de máquinas e equipamentos, assim como instalações e processos, devem ser pensados com base nos princípios da sustentabilidade. Essa é a diretriz corporativa que levou a Gelnex a aderir ao Programa Brasileiro GHG Protocol no ano de 2009.


A busca por informações sobre a redução de emissão de gases de efeito estufa (GEE) teve início em 2007, a partir do contato com o programa Climate Leaders, que apoia a contabilização e divulgação de dados de emissões de GEE nos Estados Unidos. Com as informações em mãos, a empresa investiu no treinamento do pessoal interno para a elaboração de seu primeiro inventário de gases de efeito estufa.


Foi em 2009, com a adesão da Gelnex ao Programa Brasileiro GHG Protocol, que a elaboração de inventários passou a fazer parte da cultura da empresa. A partir da produção dos inventários, foram observados dois caminhos prioritários para redução nas emissões de GEE: a redução por meio do aumento de eficiência no uso dos combustíveis; e a redução através do aumento na eficiência da logística de insumos e transporte do produto final. A estratégia se justifica pelo fato de mais de 60% das emissões da empresa serem indiretas.


Participando de oficinas e grupos de trabalho - entre eles os do Programa Brasileiro GHG Protocol - a Gelnex deflagrou um processo de contínuo aprimoramento de suas metodologias de medição e contabilização de GEE. Nesse contexto, novas fontes de emissões indiretas foram identificadas e passaram a ser registradas no inventário da empresa, que chega cada vez mais perto de representar o total dessas emissões.


O uso de energias renováveis e o melhor aproveitamento dos recursos naturais é foco da Gelnex desde o início de suas atividades. Mas a partir do conhecimento adquirido sobre suas emissões, desde 2007, foram intensificados os projetos de eficiência energética, troca de combustíveis fosseis por renováveis, e uso de fontes alternativas de energias. Alguns exemplos são a intensificação de programas de redução de consumo de energia elétrica e de vapor com o estudo de aproveitamento de correntes energéticas, o inicio da utilização de energia solar e eólica, e o uso crescente de etanol para abastecimento crescente da frota veicular da empresa.


A cultura de redução das emissões na empresa levou no início de 2010 à criação de comitês multidisciplinares em cada unidade produtiva, tendo como único objetivo a análise mensal das emissões e a criação de projetos ou processos visando a sua redução. Além disso, as metas de emissões para cada uma de suas fábricas são revisadas anualmente a fim de intensificar e incentivar a criação de novos projetos que resultem em mais eficiência e menos emissões.


O resultado mais contundente de todo o processo é a redução em 10% das emissões específicas de gases de efeito estufa da Gelnex, desde o início do processo de contabilização.

Disclaimer:
A empresa atesta e se responsabiliza pela veracidade e rigor das informações relatadas. A Fundação Getulio Vargas se exime de quaisquer responsabilidades sobre as informações prestadas pela empresa. A publicação dos cases não implica em endosso ou aprovação das práticas da empresa pela Fundação Getulio Vargas.

   

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.