Lwart Química é pioneira no monitoramento de emissões em seu setor e planeja redução

08/12/2011
COMPARTILHE

A Lwart Química, empresa de Lençóis Paulista (SP) especializada em soluções para impermeabilização na construção civil, é a primeira do seu setor a calcular as emissões de gases de efeito estufa (GEE). O objetivo deste diagnóstico é servir de base para, posteriormente, elaborar um plano para redução de gases de efeito estufa, beneficiando o meio ambiente e reduzindo os custos para a empresa. Para isso, a Lwart Química realizou em 2011 o inventário de emissão de GEE referente ao ano de 2010, conforme as especificações do Programa Brasileiro GHG Protocol, o que permitiu a contabilização dos gases emitidos ao longo do processo de fabricação e também dos relacionados à compra de energia.

Identificar cada fonte de emissão, levantar e entender os dados para cálculo e definir a melhor metodologia para cada caso resultaram um processo complexo, marcado por diversas dificuldades na fase de elaboração do inventário, como, por exemplo, a falta de histórico e de números que pudessem servir como parâmetros de comparação do setor, no Brasil.

Atualmente, as emissões diretas da Lwart Química dividem-se em fonte fixa, provenientes da queima de combustíveis nos aquecedores, forno túnel e da queima dos gases dos reatores; fonte móvel, do uso de veículos próprios; e emissões fugitivas, como a recarga de gases de refrigeração. As emissões indiretas vêm da compra de energia e vapor que estão contempladas no inventário do Programa Brasileiro GHG Protocol. As emissões indiretas, realizadas por empresas terceiras e viagem aérea de negócios, possuem escopo facultativo para o mapeamento e não foram incluídas nesse levantamento. A Lwart Química entende a necessidade de inventariar este tipo de emissão indireta e trabalhará com este foco nos próximos anos.

Para calcular as emissões diretas, adotou-se a metodologia de “emissões estimadas” como princípio de padronização das informações da empresa no inventário. A exceção se deu no cálculo de emissões dos reatores, pois não existia um fator de emissão para esse processo em particular. Assim, o estudo focou a emissão de CO2 como orientado pela equipe do Programa Brasileiro GHG Protocol. Para isso, a equipe de engenharia da Lwart Química contratou um laboratório externo para medir o volume de CO2/h, e desenvolveu um fator de emissão por volume de asfalto produzido (0,011992 Kg de CO2 para cada Kg).

Este fator poderá até mesmo ser utilizado como base de cálculo por outras empresas do setor.
A Lwart Química consome energia elétrica proveniente da termelétrica à biomassa, em que o consumo é medido em Mwh. Porém, para o cálculo de emissão na planilha, era necessário saber a quantidade de madeira, em Kg, para gerar 1Mwh de energia. Este fator de conversão teve de ser quantificado mensalmente conforme eficiência da caldeira, um processo que contou com apoio da Lwarcel Celulose, outra empresa do Grupo Lwart.

Os cálculos realizados para a elaboração do inventário de 2010 mostraram que a emissão de gases de fontes diretas e indiretas da empresa é de 4.739,39 toneladas de CO2-e. O resultado obtido mostrou que a Lwart Química tem uma emissão baixa, comparada a outras empresas que participaram do programa, mas ainda não serve como base de comparação, já que nenhuma outra indústria do setor monitorou suas emissões. Como próximos passos, a Lwart Química irá traçar um plano eficaz para reduzir as emissões, além de conscientizar outras empresas do setor sobre a importância da elaboração do inventário que é uma ferramenta fundamental para a gestão dos níveis de carbono.

Disclaimer: A empresa atesta e se responsabiliza pela veracidade e rigor das informações relatadas. A Fundação Getulio Vargas se exime de quaisquer responsabilidades sobre as informações prestadas pela empresa. A publicação dos cases não implica em endosso ou aprovação das práticas da empresa pela Fundação Getulio Vargas.