Odebrecht realiza inventário em operações de engenharia e construção em 14 países de três continentes

08/12/2011
COMPARTILHE

Odebrecht realiza inventário em operações de engenharia e construção em 14 países de três continentes


Em agosto de 2009, a Odebrecht participou da elaboração da Carta Aberta ao Brasil sobre Mudanças Climáticas. O documento apresenta os compromissos voluntários de 27 empresas para a redução de emissões de gases de efeito estufa e consequente minimização dos riscos associados às mudanças climáticas no Brasil e no mundo. A publicação de inventários anuais de emissões é um dos seus compromissos e impõe à Odebrecht um importante desafio em função da diversidade e da distribuição geográfica de suas operações de engenharia e construção.


Em 2010, a Odebrecht ampliou o compromisso assumido no Brasil e decidiu contabilizar suas emissões em todos os países onde tem operações de engenharia e construção. Foram inventariados 117 projetos e 21 escritórios, em 14 países de três continentes. Os resultados estão publicados no Relatório Anual da Organização.


O inventário permitiu conhecer o perfil das emissões, revelando a predominância de emissões indiretas, tanto pelo uso de insumos de elevado teor de carbono, como aço e cimento, quanto pela grande utilização de serviços subcontratados. Essas emissões indiretas responderam por mais de 60% das emissões contabilizadas, resultado que levou a Odebrecht a priorizar ações de controle tanto das emissões sob sua responsabilidade direta quanto daquelas originadas na sua cadeia de fornecedores.


Por outro lado, o inventário foi o ponto de partida de um programa mais amplo no tema de mudanças climáticas.  Sendo a descentralização um dos pilares da cultura Odebrecht, o desafio esteve em conscientizar e engajar as equipes no campo, situando o tema no contexto da sustentabilidade e em sua convergência com os valores da Tecnologia Empresarial Odebrecht. Focar em pessoas foi essencial para o sucesso da iniciativa, somente viabilizada pelo compromisso e empenho de mais de 450 integrantes diretamente envolvidos em um processo interativo e participativo.


A empresa obteve, também, informação detalhada sobre aspectos da gestão de emissões na engenharia e construção, até então pouco explorados. Os resultados indicaram a necessidade de aprimoramentos em metodologias e definições para que os próximos inventários venham a ser ferramentas efetivas de orientação de práticas empresariais e de comunicação com a sociedade. A Odebrecht tem trabalhado com outras empresas, fornecedores, clientes e com entidades governamentais, empresariais e da sociedade civil para definir critérios e abordagens consistentes para elaboração de inventários no Brasil.


A mobilização e o conhecimento proporcionados pelo inventário serviram de base para atuação em 2011 com foco na melhoria da eficiência nos processos e nos controles para reduzir emissões. Como exemplo de pioneirismo, a equipe responsável pela obra de construção da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio (3.150 MW) implantou ações que resultaram em uma redução de 10% nas emissões diretas.  Importante destacar que esse empreendimento já tem um balanço de emissões altamente positivo em função da geração adicional de energia renovável permitida pela antecipação do cronograma de construção. Casos como este reforçam a motivação e o compromisso da Odebrecht de contribuir para uma economia mais limpa e sustentável nos países e regiões em que atua.


Disclaimer: A empresa atesta e se responsabiliza pela veracidade e rigor das informações relatadas. A Fundação Getulio Vargas se exime de quaisquer responsabilidades sobre as informações prestadas pela empresa. A publicação dos cases não implica em endosso ou aprovação das práticas da empresa pela Fundação Getulio Vargas.

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.